PicPay é notificado pelo Procon por erros na plataforma

0

O aplicativo de pagamentos PicPay foi notificado pelo Procon-SP devido a reclamações dos clientes da fintech pelas redes sociais. Os problemas foram relatados por usuários em publicações relativas às doações feitas pelo app à ONG Mães da Favela. O PicPay já confirmou que foi notificado pelo Procon e responderá dentro do prazo determinado. Sendo assim, a fintech tem 72h para explicar sobre os erros na sua plataforma. 

É provável que você também goste:

Nascidos em agosto já podem sacar e transferir a 2ª parcela do Auxílio Emergencial

Next, banco digital do Bradesco, lança ação especial para o Dia dos Namorados

Mercado Pago ou PicPay: qual o melhor aplicativo para depositar o Auxílio Emergencial?

Entre os problemas, estão as falhas em transferências e estornos de operações, além de erros para conseguir acessar o saldo. Os usuários estão utilizando os posts em redes sociais sobre o projeto de doações para relatar problemas gerais do uso do app. De acordo com o próprio PicPay, não há problemas nas doações e os casos gerais relatados na redes sociais estão sendo tratados.

O comunicado da fintech relata que a plataforma está tendo uma alta demanda, o que está ocasionando alguns problemas técnicos. “Nos últimos meses, o PicPay teve um aumento exponencial no volume de transações e no número de usuários na plataforma, em função dos novos hábitos de pagamentos digitais adotados durante a pandemia”, informou a empresa.

Uma reclamação que tem sido comum nas redes sociais é o fato dos clientes da plataforma pedirem transferências para outras contas bancárias e o dinheiro não cair na conta. Em alguns casos, isso tem ocorrido com o Auxílio Emergencial pago pelo governo, que pode ser recebido pelo PicPay e transferido a outras instituições via TED. Em relação a esse problema, não houve notificação do Procon até o momento e os clientes devem entrar em contato com a fintech, que afirma atender as solicitações 24 horas por dia.

Conheça mais sobre o aplicativo PicPay

Aproveitar as plataformas online para pagar contas, transferir dinheiro para amigos e utilizar o Auxílio Emergencial certamente é uma ótima forma de não precisar ir ao banco, diminuindo o risco de se contaminar com o coronavírus. O PicPay existe desde 2012, oferece todas essas funcionalidades e ainda pode ser utilizado em estabelecimentos físicos, pelo pagamento com QR Code nas maquininhas da Cielo.

O aplicativo permite fazer recargas de celular e pagar boletos e contas de água, luz e telefone, utilizando o saldo do seu cartão de crédito. Você também pode fazer esses pagamentos utilizando o seu Auxílio Emergencial ou o saldo que você inseriu via transferência ou boleto.

O saldo que fica na conta do PicPay rende todos os dias de acordo com o CDI, assim como acontece no Nubank e outras contas digitais. O valor pode ser resgatado a qualquer momento. Em determinados dias, há promoções de cashback. Isso significa que, no dia da promoção, os pagamentos rendem um percentual que volta ao seu saldo e pode ser utilizados nas próximas transações.

No caso do Auxílio Emergencial, é possível colocar os R$ 600 (ou R$ 1200) no saldo do PicPay em poucos minutos. Basta gerar um cartão virtual no aplicativo Caixa Tem e colocar esses dados do cartão na parte de Carteira, no app do PicPay. Em seguida, o auxílio já aparecerá no saldo e poderá ser usado para realizar pagamentos. Para fazer saques, é possível retirar o dinheiro que está no PicPay na rede Banco24Horas, respeitando o cronograma de saques da Caixa para o auxílio.

Procon aumenta número de notificações na pandemia

Com os novos comportamentos derivados do afastamento social, muitos serviços online têm sofrido uma sobrecarga, enquanto estabelecimentos físicos estão em processo de readaptação.

Em Belo Horizonte, por exemplo, o Procon informou que 80% das demandas recebidas na última semana se referem a mensalidades escolares e pacotes de viagens. No caso das escolas, muitas se recusam a negociar valores, mesmo estando com as portas fechadas. Já as empresas de turismo nem sempre estão reembolsando os valores pagos anteriormente, ainda que as viagens não estejam sendo realizadas.

Por exemplo, a rede de academias Smart Fit também foi alvo do Procon, em São Paulo. Foram mais de 800 denúncias, até a semana passada, relatando dificuldades na hora de cancelar os planos, que segundo a academia devem ser interrompidos presencialmente. Também houve caso de continuação das cobranças, mesmo com as unidades fechadas por causa do coronavírus.

As compras online estão gerando alta demanda e também estão sendo alvos dos órgãos de proteção ao consumidor. Em São Paulo, o Procon registrou um aumento de 64% nas reclamações sobre compras pela internet nos quatro primeiros meses de 2020. Foram 55.134 atendimentos relativos a esse assunto.

Por fim, além do PicPay, até mesmo o TikTok foi notificado pelo Procon paulista no mês de maio, por não ter uma política de proteção e privacidade para as crianças que utilizam a plataforma. Em agosto, entrará em vigor no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os consumidores devem ficar atentos ao uso indevido de suas informações pessoais, para fazer as denúncias necessárias.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Yanalya / Freepik

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais