Pix começa hoje (16): saiba mais sobre o novo sistema de pagamentos do Banco Central

0

Após um período de teste que ocorreu entre os dias 3 e 15 de novembro, o Pix enfim começa a funcionar a partir de hoje (16) para todo o Brasil. Dessa forma, todas as pessoas e empresas que tiverem conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga em qualquer uma das 762 instituições aprovadas pelo Banco Central já vão poder usar o Pix. Com isso, já é possível fazer transferências gratuitas 24 horas por dia e em qualquer dia do ano, até mesmo nos finais de semana e em feriados. Saiba mais sobre o Pix no texto a seguir.

É provável que você também goste:

3 cartões de crédito que aumentam limite atrelado ao investimento.

Qual é o score de crédito ideal para conseguir cartões de crédito e empréstimos?

Como os franqueados devem se preparar para o Pix.

Pix começa hoje (16), após fim do período de testes

O cadastro de chaves do Pix já podia ser feito por pessoas físicas e empresas desde o dia 5 de outro. Nessa etapa, o cliente podia registrar até 5 chaves, que poderiam ser o CPF, o número do celular, o e-mail ou uma chave aleatória. Já a fase de testes, que terminou ontem (15), ocorreu apenas para alguns clientes escolhidos pelas instituições financeiras. Nessa fase de testes, o Pix ficou disponível apenas durante algumas faixas de horário.

De acordo com o Banco Central, não tem um limite mínimo para pagamentos ou transferências via Pix. No entanto, as instituições que ofertam o Pix podem definir limites máximos de valor para reduzir de riscos de fraude, lavagem de dinheiro ou outros crimes.

Para fazer transferência ou pagamento pelo Pix, você só precisa ter a chave de quem vai receber o dinheiro; ou seja, você não precisa mais ter informações como agência, conta e dados pessoais do recebedor. Além disso, o recebedor também tem a possibilidade gerar QR Codes.

Casos em que pode haver cobrança de tarifas no Pix

O Pix deve ser gratuito para pessoas físicas nas operações de transferência e de compra. Contudo, as instituições financeiras podem cobrar tarifas em caso de recebimento de vendas de produtos e de serviços. Ademais, também pode haver cobrança de tarifas se os clientes (pessoas físicas e jurídicas), podendo fazer a transação por meio eletrônico (site ou aplicativo), quiserem fazê-la presencialmente ou por telefone.

Por fim, no caso de pessoas jurídicas, as instituições financeiras podem cobrar tarifa tanto no envio como no recebimento de dinheiro por meio do Pix. Também pode haver cobrança em serviços acessórios ligados ao pagamento e ao recebimento de recursos via Pix.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Fonte: Agência Brasil

Imagem: rafapress / Shutterstock

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar