Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Itaú perde R$ 1 milhão em falha no Pix e processa bancos por serem omissos

0

O novo sistema de pagamentos instantâneos do banco central, o Pix, está passando por mais uma polêmica. Ou melhor, a primeira “prova de fogo” judicial do Pix. Isso porque, em novembro de 2020, pouco depois do lançamento do meio de pagamentos, o Banco Itaú cometeu uma falha grave em sua integração com o sistema do BC. Com isso, acabou realizando transferências indevidas para contas de diversos bancos.

Dessa forma, entre as instituições processadas pelo Itaú e que teriam recebido valores indevidos, estão o Banco do Brasil, Bradesco, Sicred, Bancoob, Nubank, Banco Original e Banco Inter. O Itaú destaca que “em razão de um erro sistêmico, foram realizadas transferências indevidas e, portanto, em excesso, para as contas bancárias dos bancos favorecidos “.

Além disso, é provável que você goste:

Lucro líquido dos bancos privados recuou 24,6% em 2020 devido à Covid-19

Itaú diz que Copom deve aumentar a taxa Selic em março já

Banco Inter, Itaú e Caixa lideram o ranking de reclamações do Banco Central

Truque fundamental para conseguir empréstimo no Bradesco

Itaú perde R$ 1 milhão em falha no Pix 

Além disso, o banco afirmou que esse tipo de falha sistêmica ocorre com alguma frequência no âmbito das instituições financeiras. Assim, segundo o processo aberto pelo Itaú, as transferências realizadas em duplicidade, de forma indevida, totalizam exatos R$ 966.392.

O banco também alega que, embora o problema tenha sido exclusivamente de seu sistema, os demais bancos estariam “cientes da falha sistêmica”, e mesmo assim, não teriam devolvido o dinheiro, além de permitirem a seus clientes utilizar o valor transferido indevidamente.

O que acontece agora com os bancos que receberam o dinheiro?

Com a confusão, o Itaú afirma ter perdido R$ 1 milhão por causa da falha no Pix. Por isso, decidiu abrir o processo contra os bancos omissos. “Ao invés de devolverem o valor indevido ao Autor, permitiram a liquidação dos créditos nas contas dos correntistas destinatários, impedindo o estorno e causando o enriquecimento sem causa em relação ao qual ora se pleiteia devolução de valores”, disse o Itaú, no processo.

Por fim, o banco entrou em contato imediatamente com alguns correntistas para fazer a devolução de forma imediata. Entretanto, como alguns bancos e correntistas não fizeram o estorno das transações indevidas, o Itaú pede que os bancos sejam condenados a bloquear e, na sequência, estornar ao autor os valores creditados em excesso.

Nota oficial do Itaú

Por fim, confira a seguir a nota oficial enviada pelo Itaú ao site Seu Crédito Digital sobre o assunto. De acordo com a nota, os clientes afetados pelos débitos em duplicidade já receberam o reembolso.

O Itaú Unibanco não comenta processos que correm em segredo de justiça. O banco esclarece, no entanto, que os clientes que tiveram débitos em duplicidade em razão de uma falha operacional pontual foram reembolsados imediatamente. O banco ressalta, ainda, que o acionamento judicial é uma medida usual entre as instituições nesse tipo de situação, pois traz segurança jurídica para que elas façam os estornos das contas creditadas indevidamente.”

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Imagem: rafapress / Shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...