Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Pix por agendamento: BC dá prazo ao bancos para início da operação

Bancos e instituições financeiras deverão seguir o prazo para incorporar em seus sistemas o Pix por agendamento

0

O Banco Central (BC) aprovou nesta semana uma mudança no Regulamento do Pix, anexo à Resolução nº 1, de 2020. Assim, a partir do dia 1º de setembro, todo banco e qualquer outra instituição financeira, que trabalha com o Pix, vai ter que oferecer a modalidade de pagamento por agendamento. Assim, o cliente vai poder selecionar uma data futura, para realizar o pagamento e/ou transferência via Pix.

É provável que você goste também

Banco Central aprova Pix para o beneficiário do auxílio emergencial

Alerta de golpe: e-mail falso de bloqueio do Pix pelo “creditodesbloquear”

Banco Central anuncia novo serviço do Pix semelhante a emissão de boletos

Será que o Pix ainda vai superar o cartão de crédito?

Pix por agendamento: BC dá prazo ao bancos para início da operação

Desde o lançamento do Pix, em novembro de 2020, o Pix por agendamento era opcional. Entretanto, a partir do dia 1º de setembro, o Banco Central vai cobrar que todas as instituições ajustem seus sistemas, bem como as interfaces, para poder oferecer essa modalidade aos clientes. 

Além disso, em comunicado, ele cita que essa regra visa ampliar ainda mais a comodidade dos pagadores. Dessa forma, qualquer usuário vai poder agendar um Pix, independente da instituição em que tem conta. 

Prazo maior para se adaptar ao Pix Cobrança 

A implementação do recurso foi adiada em outros momentos. Dessa forma, as instituições bancárias ganharam um prazo maior, para poder se adequar ao Pix Cobrança. Esse recurso tem previsão de lançamento para o dia 14 de maio, e deve permitir cobranças com vencimento em futuras datas, através da geração de um QR Code. 

Entretanto, a regra menciona que as instituições, que usam o Pix, e que não se adequarem às regras, no período de 14 de maio até 30 de junho, deverão ao menos possibilitar a leitura e pagamento na data da leitura do QR Code. Além disso, deve providenciar que todos os encargos e abatimentos sejam calculados corretamente. 

Já a partir do dia 1º de julho, as instituições deverão estar conseguindo fazer a leitura do QR Code. Bem como viabilizando o pagamento deste para uma data posterior. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

imagem: Brastock / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...