Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Recuperação judicial da 123milhas é suspensa pela Justiça

Um dos maiores credores da companhia entrou com pedido de suspensão de recuperação judicial de 123milhas. Saiba mais!

A 123milhas entrou com pedido de recuperação judicial no final de agosto, mas um credor entrou com pedido de suspensão, que a Justiça de Minas Gerais acabou acatando. Na ocasião, o pedido da empresa de viagens foi para suspender por 180 dias as ações dos credores e consumidores.

Também em agosto, a Justiça aceitou o pedido da 123, já que ela apresentava dívidas bilionárias, de cerca de R$ 2,37 bilhões. Porém, com a movimentação jurídica realizada pelo Banco do Brasil (BB), o maior credor, o desembargador Alexandre Victor de Carvalho decidiu pela suspensão da solicitação.

Entenda a suspensão de recuperação judicial de 123milhas

celular com aplicativo da 123milhas
Imagem: rafaelnlins / shutterstock.com

A decisão é provisória, até que haja uma constatação prévia por parte da 123milhas. A ideia, com o pedido do credor, é que haja uma análise do funcionamento da agência de viagens. Além da verificação dos documentos apresentados para o pedido de recuperação.

No entanto, mesmo que o desembargador tenha acatado o pedido de suspensão, as dívidas e cobranças aos consumidores devem seguir suspensas, já que o período de blindagem ainda está valendo. O Banco do Brasil, em seu pedido de suspensão, também pediu pela revisão dos escritórios de advocacia que foram escolhidos como responsáveis pelo caso.

Contudo, esse último pedido foi negado pela Justiça e deve passar por avaliação após a constatação. Anteriormente, o Ministério Público já havia lançado questionamento sobre tais escolhas, já que um dos advogados já atuou, anteriormente, como assessor de um advogado da agência de viagens.

Relembre polêmica

Em agosto, a 123milhas cancelou todos os pacotes da categoria “promo” de seus clientes. Entre os motivos, a companhia alegou “situações de mercado adversas“, deixando seus consumidores, que fariam viagens entre setembro e dezembro deste ano, apenas com vouchers de descontos.

Por conta disso, diversos usuários foram atrás da empresa de viagens para conseguirem reaver os valores e negociar. Com isso, foram mais de 150 denúncias à Polícia Civil pela 123milhas ferir o Código de Defesa do Consumidor (CDC). As investigações já começaram e algumas vítimas já foram depor.

Veja também:

Alerta geral sobre o Bolsa Família: benefício passará por mudanças em outubro

Por fim, poucos dias após a polêmica, a companhia entrou com um pedido de recuperação judicial na Justiça de Minas Gerais, estado em que está localizada. O pedido foi acatado poucos dias depois.

Entenda os últimos acontecimentos da polêmica envolvendo a 123Milhas:

Imagem: rafaelnlins / shutterstock.com