Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Bancos tradicionais cobram até R$ 10 por cada Pix

Saiba que o serviço pode ser cobrado em alguns casos. Entenda

0

O sistema de pagamentos e transferência Pix, criado em 2020, tem feito um verdadeiro sucesso entre os brasileiros. Entretanto, o serviço pode ser cobrado em alguns casos. Ou seja, bancos tradicionais, como Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander, são exemplos de bancos que cobram taxas por cada transação. Confira abaixo, maiores detalhes. 

É provável que você goste também:

Segundo Banco Central, Pix pode virar identidade digital

Por que o Pix ainda não substituiu o dinheiro e o cartão de débito?

Usuários poderão integrar lista de Contatos ao Pix

Bancos tradicionais e a taxa R$ 10 por cada Pix

O Pix foi criado pelo Banco Central (BC), visando facilitar as transações e pagamentos. O serviço é gratuito para as pessoas físicas. Entretanto, no caso das contas empresarias, o BC não determinou que também deveriam possuir isenção de taxas.

Dessa forma, diversos bancos têm cobrado taxas de até R$ 10, por cada transação realizada por uma conta empresarial. Uma surpresa positiva, é que a Caixa, e algumas fintechs, até o momento permanecem sem cobrar tarifa da conta jurídica. 

Assim, diversas empresas, com contas em bancos tradicionais, podem ser cobradas com taxas por recebimento e pagamento. Dessa forma, faz-se necessário que as empresas avaliem a eventual cobrança de taxas, antes de aceitar essa modalidade de pagamento. 

Quais as taxas cobradas pelos bancos?

Em síntese, confira quanto os principais bancos tradicionais estão cobrando por cada transação por meio do Pix. Antes de mais nada, é importante ressaltar que os valores foram retirados das tabelas disponibilizadas pelos próprios bancos, e podem chegar a R$150.

Banco Tradicional
Taxa para transferir através do Pix Taxa para receber através do Pix
% sobre o valor Tarifa mínima Tarifa máxima % sobre o valor Tarifa mínima Tarifa máxima
Banco do Brasil 0,99% R$ 1 R$ 10 QR Code: 0,99% R$ 140
Bradesco 1,40% R$ 1,65 R$ 9 QR Code: 1,4% R$ 0,90 R$ 145
Caixa Não cobra taxa
Itaú 1,45% R$ 1,75 R$ 9,60 QR Code: 1,45% R$ 1 R$ 150
Santander
1%
R$ 0,50
R$ 10
QR Code dinâmico: R$ 6,54
QR Code via checkout: 1,4% R$ 0,95

 

Todavia, com relação às taxas para receber através do Pix, vale ressaltar que não encontrou-se informações sobre cobranças nos casos de recebimento por chave Pix. 

Afinal, vale a pena o Pix para as contas de bancos tradicionais?

Antes de mais nada, é importante ressaltar que, de acordo com o Banco Central, a cobrança de taxas para empresários individuais (EI) e microempreendedores individuais (MEIs) é proibida. Ou seja, transações eletrônicas pelo Pix não são cobradas para esse tipo de CNPJ.

Embora os comércios possuam essa cobrança de tarifas, ainda sim pode ser uma boa ideia aceitar o Pix. Em suma, o valor cobrado ainda é menor do que as taxas das máquinas de cartão de débito e crédito. Além disso, com o Pix, o dinheiro cai na conta do empresário de forma instantânea.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

imagem: Divina Epiphania / shutterstock.com

Comentários
Carregando...