Author - Luiz Felipe Kessler

Como funciona o app PicPay? Aprenda a ganhar dinheiro com ele

app picpay

As startups estão a cada momento inovando e trazendo soluções em nossas vidas. As fintechs, que são startups financeiras, possuem o objetivo de nos prestar soluções financeiras utilizando a tecnologia de maneira prática e rápida, facilitando nossas vidas e trazendo um conforto muito maior, pois podemos fazer transações financeiras de nossas residências. O app PicPay, portanto, funciona como uma carteira digital em que permite que você faça compras pelo smartphone com cartão de crédito ou transferência. Além disso, você pode transferir dinheiro para amigos. Enfim são inúmeras possibilidades dentro do aplicativo.

Leia também:

4 formas de pagar qualquer boleto pelo cartão de crédito.

Como pagar boleto pelo cartão de crédito pelo app PicPay.

Entenda a diferença entre o PicPay e PicPay Pro.

Para usar o app, basta baixar o aplicativo na loja do Android ou do iOS, se cadastrar preenchendo alguns dados como nome completo, e-mail, CPF e criar uma senha pessoal. Você pode cadastrar o seu cartão de crédito para efetuar os pagamentos. Além disso, o PicPay tem parcerias com as bandeiras Visa e MasterCard e todas as transações são efetuadas sem custo para o usuário.

Pagamento

Para fazer o pagamento, o usuário precisa ter o número do telefone da pessoa ou empresa cadastrada. Outra possibilidade em que o aplicativo proporciona é o envio de dinheiro para a conta de seus contatos e realizar pagamento de contas em estabelecimentos que já estão credenciados.

Resgatar o dinheiro

Se você for o usuário que irá receber um pagamento, o processo de resgate é bem simples. Você poderá utilizar o dinheiro depositado como forma de pagamento em próximas compras e também fazer transferência para uma conta bancária sem custo algum. A quantia estará disponível em até 48 horas depois da sua solicitação.

Onde utilizar o app PicPay

O PicPay disponibiliza uma série de endereços que aceitam o app como forma de pagamento. Ele analisa de acordo com a sua localização e interesses de consumo e indica as melhores opções de compras. Além disso, também cita quais possuem programas de fidelidade para que você participe e receba ainda mais créditos.

São diversos estabelecimentos que aceitam o PicPay como forma de pagamento: restaurantes, lojas, salões de beleza, supermercados, farmácias, entre outros.

Como ganhar dinheiro com o PicPay

O PicPay permite que você ganhe R$ 10 ao indicar pessoas que se cadastrem no app. Ou seja, as pessoas que criarem conta com o seu código de indicação receberão de volta os primeiros R$ 10 gastos no PicPay. Sendo assim, além do seu amigo ganhar, você também ganhará R$ 10 pela indicação. Essa promoção é válida para pagamentos com cartão de crédito. Se interessou? Se cadastre com o seguinte código: PBBTTM

PicPay Pro

O empreendedor autônomo ou microempreendedor interessado poderá depois e criar o seu perfil ativar no menu a função Pro. A transação ocorre pelo cliente e não pelo vendedor. Ambos devem ter o app instalado para que o pagamento ocorra. Isso garante uma maior segurança ao vendedor, pois ele não terá acesso a dados sigilosos dos clientes.

As contas normais têm um limite de R$ 800 mensais, já a Pro permite transações que passem desse valor.

Taxas apenas sobre vendas realizadas

Não há cobranças de taxas como de inscrição, saque, aluguel e não há qualquer tipo de mensalidade. O único valor cobrado pelo app PicPay é sobre as vendas realizadas. A taxa única cobrada sobre a venda realizada no crédito à vista é de 4,89% e são acrescentados 3,49% por cada parcela extra em caso de o cliente optar pelo parcelamento, é possível parcelar em até 12 vezes. A taxa poderá ser repassada ao cliente ou se o vendedor optar poderá arcar com o valor. O vendedor Pro pode aceitar pagamento pelo Visa, Mastercard, Elo e American Express.

O valor da venda cai na conta virtual do vendedor, podendo ser transferido para a conta bancária. Desta forma, o vendedor terá que esperar pela transferência bancária para ter acesso ao dinheiro, parecido com o que ocorre com as maquinhas de cartão PagSeguro.

Considerações Finais

Sem dúvida, essa é uma excelente alternativa para microempreendedores que não querem pagar as taxas cobradas pelas maquininhas de cartão de crédito. Além disso, dessa forma fica mais fácil de receber a quantia de dinheiro em que seu amigo está devendo para você, ou até dividir alguma conta em um bar. Portanto, nós recomendamos fortemente o uso desse app.

Gostou da notícia sobre o app PicPay?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fontes: Techtudo, MobileTransaction, ContaemBanco.

Itaú lança cartão de crédito digital Credicard Black para cliente de alta renda

Credicard Black

O Itaú lançou esta semana a versão Credicard Black, cartão de crédito 100% digital. O cartão dá até 5 pontos por dólar gasto e tem o foco em consumidores de alta renda. No entanto, um dos pontos em que o diferenciam é que não há remuneração mínima necessária para solicitar o produto. Até porque os bancos costumam exigir uma remuneração mínima e alta aos clientes que desejam ter um cartão black.

O cartão Unique Black Santander e o Bradesco Mastercard Black, por exemplo, exigem renda mínima mensal de 20 mil reais. Já o Banco do Brasil não divulga a renda mínima para ter o Ourocard Mastercard Black.

Leia também:

Como conseguir o cartão sem anuidade Mastercard Black do Banco Inter.

Nubank Black, focado em alta renda, está próximo de ser lançado?

Banco do Brasil lança cartão de crédito digital para não correntistas.

Limite de crédito

O novo cartão de crédito tem um limite de crédito inicial de 7 mil reais. No entanto, o valor poderá ser maior dependendo da renda do cliente e do relacionamento dele com o banco.

Anuidade do Credicard Black

Mesmo que não seja preciso ter uma renda mensal mínima necessária para solicitar o Credicard Black, o cliente interessado terá que pagar uma taxa de anuidade elevada como as cobradas nos demais cartões black do mercado. O custo anual do cartão do BB é de 923 reais, já o Bradesco cobra 930 reais, o do Santander custa 870 reais e o custo do cartão do Credicard é de 780 reais.

“Mas existe a possibilidade de isenção de anuidade, baseada nos gastos no cartão. Nos três primeiros meses, os clientes usufruem o produto sem pagar nada. Se a média mensal de gastos for superior a 6 mil reais nesse período, a isenção de anuidade se mantém até completar um ano”. Explica Fabiano Dourado, diretor do Itaú. Portanto, o cliente ficará isento da taxa se gastar no mínimo 18 mil reais nos três primeiros meses de uso.

Programa de pontos

O cartão pode ser vantajoso para os consumidores que desejam acumular pontos com o cartão de crédito. A cada dólar gasto com serviços de streaming ou lojas de aplicativos ganha-se 5 pontos; em compras internacionais, 3 pontos; e em compras nacionais, 2 pontos.

“É um produto muito bom para quem gosta de acumular e usar pontos do cartão. O cliente que acessar o site da Credicard e fizer login, poderá usar um broker exclusivo para adquirir passagens aéreas com pontos, sem a necessidade de transferi-los para programas de milhas. Um comparador de passagens informa qual o preço em cada programa e auxilia na escolha da melhor forma de usar os pontos, que também podem ser trocados por produtos”, explica Dourado.

O consumidor que aderir ao novo cartão ainda terá benefícios como o uso gratuito da Sala VIP Lounge Mastercard Black no aeroporto de Guarulhos (SP), acesso a mais de mil salas VIP Lounge Key em aeroportos pelo mundo por 27 dólares, seguro-viagem e cashback para compras nos Estados Unidos em empresas parceiras como AVIS, Hilton e Bloomingdale’s.

O Credicard Mastercard Black, assim como o Credicard Zero, também oferece descontos para clientes que fazem compras em lojas parceiras como: Uber, Decolar, Netshoes, Zattini, FastShop, Magazine Luiza, Extra e Ponto Frio. No Uber, por exemplo, o cliente ganha uma corrida de 20 reais a cada dez corridas feitas no app. Nas lojas, os descontos são de até 40% para produtos específicos.

Por fim, o atendimento é feito pelo app, via chat e o pagamento da fatura também é feito online. Para quem tiver interesse em aderir ao cartão, o cliente não precisa ser correntista do Itaú e a solicitação pode ser realizada pelo próprio site da Credicard.

Fontes: InfoMoney e Exame.

Pesquisa aponta os bancos que cobram as menores tarifas

bancos que cobram as menores tarifas

Os bancos podem ser grandes aliados dos correntistas quando o assunto é economia. Por isso é importante ficar atento para as tarifas em que são cobradas na sua conta. Pensando nisso, a Proteste comparou as taxas cobradas pelos bancos e levou em consideração dois perfis de clientes: os que realizam dois DOCs/TEDs, três transferências entre contas, consulta um extrato e realiza quatro saques por mês, e outro que realiza seis DOCs/TEDs, consulta três extratos, faz dez saques e faz sete transferências entre contas. Confira logo abaixo a pesquisa que aponta os bancos que cobram as menores tarifas.

Como sempre mencionamos aqui no Seu Crédito Digital, o Banco Inter é a melhor escolha tanto para o perfil de cliente que usa poucos serviços bancários como os que realizam muitas transações seja pela internet ou pelos terminais de autoatendimento.

Leia mais:

Abertura de conta: Fintechs levam vantagem sobre os grandes bancos.

Os melhores bancos digitais sem anuidade em 2018.

Mas para aquela pessoa que prefere usar serviços bancários presenciais dos bancos tradicionais, a opção mais barata é o Banrisul, seguido pelo Bradesco.

O Banrisul cobra 18,45 reais por mês para aqueles correntistas que utilizam pouco os serviços bancários e 41 reais para quem faz mais operações. Entretanto o Bradesco cobra 19,40 reais em tarifas para quem utiliza menos serviços e 54,20 reais para quem faz mais transações bancárias.

A associação de consumidores Proteste realizou o levantamento em dezembro de 2017 e listou dez bancos. A listagem incluiu também instituições de menor porte e bancos digitais.

O Banco Inter é o que mais se destacou porque tem realmente uma conta digital totalmente gratuita. O banco oferece diversos serviços gratuitos, mas precisam ser usados exclusivamente por meios digitais ou canais de autoatendimento.

Desde o último levantamento da Proteste, as opções de contas digitais diminuíram, principalmente as gratuitas. Até porque, atualmente, as contas digitais dos bancos Original e Neon são pagas. Além disso, outras três grandes instituições que forneciam serviços ilimitados e gratuitos (Itaú, Banco do Brasil e Bradesco) acabaram suspendendo a oferta de conta para clientes novos.

Renata Pedro, coordenadora de pesquisas da Proteste, disse que as contas digitais deveriam ser sempre uma opção mais econômica, até porque as transações são feitas por meios digitais. Isso torna a operação com menor custo para o banco. No entanto, segundo Renata, isso nem sempre é verdade: “O estudo mostra que a conta oferecida pelo banco digital Neon tem tarifas mais caras do que os grandes bancos para os dois perfis pesquisados”.

Embora o Nubank seja uma das maiores fintechs do Brasil, o levantamento não considerou a startup financeira. Afinal, ela não oferece conta corrente, mas sim uma conta de pagamento. Uma conta corrente oferece serviços adicionais como saques e cartões de débito. Exatamente por isso, o Nubank não foi incluído na pesquisa.

É importante salientar que o estudo leva em consideração somente dois tipos de perfis de uso. Isso significa que o ranking de bancos pode mudar de acordo com o perfil de uso do correntista.

Confira o resultado da pesquisa da associação de consumidores Proteste:

Pesquisa aponta os bancos que cobram as menores tarifas

bancos que cobram as menores tarifas

Gostou da notícia sobre os bancos que cobram as menores tarifas ?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Exame.

Consumidores de poder aquisitivo maior não serão aprovados no Nubank

poder aquisitivo maior

O Nubank prioriza, sobretudo, clientes de média e baixa renda e não pretende lançar, por agora, produtos para consumidores com poder aquisitivo maior. Até porque o custo da operação não justificaria o investimento nesse tipo de perfil, segundo Cris Junqueira, vice-presidente da fintech.

Clientes com poder aquisitivo maior são caros para a fintech

“O cliente (com cartões) ‘black’ , com poder aquisitivo maior, são caros para nós”, afirma a executiva. “É difícil tirá-los dos bancos nos quais já estão, porque esses clientes, sim, são bem tratados”, explicou Cris.

Leia também:

Quais as vantagens e diferenças do Nubank Platinum e Nubank Gold.

Itaú lança cartão de crédito digital Credicard Black para cliente de alta renda.

Vantagens em antecipar a parcela do Nubank.

A missão do Nubank, atualmente, é conquistar clientes “platinum”, de renda entre média e alta. Para conquistar esse público, a fintech criou o plano de recompensas Nubank Rewards, lançado em 2017. Ele foi lançado para atrair consumidores que pagam altas taxas de anuidade em troca de pontos maiores nos programas de fidelidade.

“Sabemos que conseguimos lançar um serviço que é o melhor do mercado. Pontos não expiram, não há restrições para uso em passagens, não há restrições para transferência de pontos”, afirma Cris.

O Nubank também planeja abrir o Nuconta para todo o mercado. A conta corrente da empresa foi lançada em 2017, mas está ainda em fase de testes. Sabemos que o produto ainda não está completo”, diz a executiva. “Ele ainda está em fase de testes apenas para clientes dos cartões”, afirma.

O Nubank foi criado em 2013 como uma alternativa aos bancos tradicionais que oferecem cartões de crédito com cobrança de anuidade. O sucesso da empresa já fez alcançar 4 milhões de clientes. Agora a expectativa dos executivos é a aprovação da lei do Cadastro Positivo para atrair mais clientes.

“Muitos não possuem holerites, têm dificuldades para comprovar renda. Então, barramos pessoas que não devem ser barradas”, afirma Cris. “Com o cadastro positivo, isso poderá nos ajudar a filtrar melhor e incluir esse consumidor”, conclui a vice-presidente do Nubank.

Gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Istoé.

Boletão: fintech reúne todos os boletos de pagamentos em um só

boletao

Se você não aguenta mais ter que ir pagar vários boletos ou ainda não tem tempo para isso, você precisa ler sobre essa fintech que está ajudando os usuários com essa nova proposta. A fintech é chamada de “Boletão” e reúne, como o nome sugere, todos os boletos de pagamentos em apenas um. Até porque as contas básicas como água, energia e telefone são geralmente pagas separadamente. Isso acaba contribuindo para o aumento de número de boletos que chegam na casa do brasileiro ao mês.

Leia também:

Como funciona o app PicPay? Aprenda a ganhar dinheiro com ele.

Fintech Creditas pede registro ao Banco Central para virar banco.

Fintech ajuda a promover a estabilidade financeira dos colaboradores.

Por esse problema, o Boletão foi criado, para você ganhar tempo ao unir todos os boletos em um só. A fintech oferece uma solução de crédito para pagamentos de boletos bancários. Ou seja, o usuário só precisa cadastrar todos os pagamentos e incluir as datas de vencimento e pagamento. Depois é só pagar um único boleto, chamado de Boletão, nome que deu origem à fintech.

Boletão Boletão

Um crédito pré-estabelecido pela startup financeira será usado para realizar o pagamento do boleto. Embora não seja necessário ter uma conta bancária, a fintech faz uma análise de crédito para que o usuário utilize o serviço. Em contrapartida, o usuário precisará pagar a partir de 1% do valor do boleto no aplicativo, com o limite de R$ 7 reais por pagamento.

“Muitas vezes encontrávamos dificuldades para pagar as contas, às vezes por não ter tempo hábil de se locomover até um banco ou lotérica, às vezes por ter o dinheiro apenas em mãos e não ter em uma conta bancária para efetuar o pagamento online”, comenta Ariane Pelicioli, fundadora da startup. “Além de inúmeros boletos que recebemos em diferentes datas durante o mês e precisamos fazer um bom gerenciamento para não esquecer de pagar nenhum”.

A startup foi criada em 2016 e recebeu investimento do BMG UpTech. O boletão foi selecionado para o Programa de Aceleração da Visa e está participando, atualmente, do programa Inovativa Brasil.

Vantagens Boletão

Crédito para pagamento

O aplicativo libera um crédito para o pagamento do boleto.

Uma única data

Você cadastrará todos os boletos pelo app e escolherá a melhor data do mês para pagar o “boletão”.

Sem banco

O serviço é totalmente desvinculado ao sistema bancário. O que significa que você não precisará ter uma conta em banco para usá-lo.

Pagar contas

O aplicativo ajuda você a não atrasar pagamentos e ter que pagar multas e juros. Isso porque você poderá escolher o dia para pagar o “boletão”, mesmo que a sua conta esteja perto de vencer. Basta ir no app e gerar o boletão com outra data.

Considerações Finais

A fintech pensando no fato de que é extremamente chato e uma perda de tempo ter que pagar vários boletos, seja em banco ou lotérica, ou até mesmo via internet, criou o app para facilitar a nossa vida. Além dessa facilidade em pagar boletos, também é possível deixar de pagar juros e multas por atrasos de boletos de pagamento. Isso porque basta reunir todos os boletos em um só e escolher uma data de vencimento.

Portanto, é mais uma opção de fintech que está nos auxiliando a ganhar tempo e permitindo um maior controle sobre nossas finanças.

Fonte: StartSe.

Entenda o que vai mudar com a adesão automática ao Cadastro Positivo

adesão automática ao Cadastro Positivo

Entenda o que mudará com adesão automática ao Cadastro Positivo. As novas regras do Cadastro Positivo afetarão a todos os consumidores do país. Isso significa que as empresas terão acesso a uma espécie de lista de bons pagadores. Ou seja, os que são bons pagadores poderão ter direito a contratar serviços financeiros com taxas mais baixas. O novo projeto de lei está tramitando no Senado e, se for aprovado, automaticamente, condicionará a contratação de crédito à capacidade de pagamento do consumidor.

O Cadastro Positivo mesmo que tenha sido criado em 2011, sempre foi voluntário, fator que influenciou que a ferramenta não tenha sido tão eficaz na redução dos juros. No entanto, a mudança prevista no projeto de lei, fará o consumidor ter a adesão automática ao Cadastro Positivo. Portanto, os dados do histórico de crédito como pagamentos de contas e empréstimos podem ser consultados por lojas, empresas de serviço público, bancos e outras instituições.

Leia mais:

Afinal, o Cadastro Positivo ajuda ou atrapalha para conseguir crédito?

Entenda o que vai mudar com a adesão automática ao Cadastro Positivo.

Como ativar o cadastro positivo do Nubank para conseguir mais limite de crédito.

Como aumentar o seu score de crédito.

No entanto, a nota de crédito já existe, mas ela é feita com dados negativos. Agora a proposta é fazer a adesão automática dos pagamentos em dia. Ou seja, as instituições financeiras poderão incluir informações no sistema sem autorização específica dos clientes. Os consumidores, por sua vez, terão 30 dias para solicitar a exclusão do banco de dados. O Projeto promete que a inclusão de mais pessoas e a ampliação de crédito tenha potencial de baixar os juros dos empréstimos e financiamentos. Já o consumidor que tiver uma nota menor poderá negociar para melhorar isso.

Score de crédito

Os dados que serão considerados para elevar a pontuação de crédito serão os empréstimos, financiamentos, crediários, contas de água, luz e telefone. O projeto de lei também permite que a instituição financeira defina a metodologia que irá aplicar para definir o score.

Aqui neste post você entenderá mais precisamente o que é o score de crédito:

Como funciona o score do Serasa para conseguir crédito.

Diminuição das dívidas

O número das dívidas não pagar deve cair em 45%. Isso porque para aumentar o score, o consumidor terá que pagar as contas em dia. Segundo o superintendente de Serviços ao Consumidor da Boa Vista SCPC, Pablo Nemirovsky. “Para aumentar o score é importante pagar as contas em dia. São estes pagamentos que contarão a seu favor”.

O vice-presidente de Informações sobre o Consumidor da Serasa Experian ainda ressalta que será bom para profissionais que não possuem um emprego formal. “Com um histórico mais completo do comportamento de crédito, os credores podem oferecer melhores condições mesmo aos consumidores que não possuem um emprego formal”,

Segundo a gerente jurídica do SPC Brasil, Vivian Moraes, será possível particularizar a política de crédito de acordo com o perfil de cada cliente. “Com o cadastro positivo, quanto melhor for o score, mais interessante será para a instituição e mais individualizada será a operação junto ao consumidor”.

Adesão automática ao Cadastro Positivo recebe críticas.

Entretanto, mesmo que as empresas defendam que tenha uma maior oferta de crédito, redução da inadimplência e a redução de juros, há diversos questionamentos dos órgãos de defesa do consumidor ao projeto de lei. “Não há nenhuma garantia de que os juros serão reduzidos e nem quanto a legalização do score de crédito. Há casos em que a situação do grau de parentesco pode também entrar nesse score e se houver débito de um parente de primeiro grau, por exemplo, isso baixará a nota”, excplica o advogado líder de Direitos Digitais do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Rafael Zanatta.

Outro ponto destacado é a possibilidade de recebimento evasivo das propostas de crédito e na precarização dos direitos do consumidor: “Vai virar uma espécie de paranoia coletiva essa coisa de aumentar o score. Muita gente vai deixar de reclamar de determinada empresa, ainda que se sinta lesado, para não comprometer a nota”.

Já a Proteste Associação de Consumidores também critica o Cadastro Positivo. Segundo a advogada da entidade, Lívia Coelho, o direito a privacidade fica comprometido. “A questão principal está no direito a privacidade. Não sabemos como esses dados serão utilizados e não há uma lei que garanta a proteção destas informações”, considera.

A Proteste Associação de Consumidores também tem críticas ao cadastro positivo. Para Lívia Coelho, advogada da entidade, o direito a privacidade fica comprometido. “A questão principal está no direito a privacidade. Não sabemos como esses dados serão utilizados e não há uma lei que garanta a proteção destas informações”, considera.

Considerações Finais

Embora o Cadastro Positivo seja algo para facilitar a obtenção de crédito, o projeto tem algumas questões a serem avaliadas. Até porque talvez a adesão automática ao Cadastro Positivo permita que o consumidor tenha acesso ao crédito, mas a lei não garante que a queda dos juros será realizada para o bom pagador. E ainda somado a isso, mesmo que os juros baixem, os consumidores com scores mais baixos terão que arcar com os juros mais altos.

Outro ponto que devemos olhar com atenção é o fato de como será feita a gestão da segurança dos dados dos consumidores que decidirem se manter no cadastro positivo. E, finalmente, não há uma metodologia geral para a pontuação dos scores, e isso poderá gerar distorções de uma empresa para outra. Tudo isso precisa ser questionado e discutido para que esteja tudo nos conformes.

Portanto, de fato, o consumidor que é bom pagador terá mais benefícios com o cadastro positivo. Em contrapartida, o que não costuma pagar suas contas em dia poderá sofrer com essa mudança.

Gostou do artigo sobre a adesão automática ao Cadastro Positivo?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fontecorreio24horas.

Pag! está investindo alto para bater o Nubank

fintech pag

As fintechs estão ganhando cada vez mais espaço no mercado financeiro. Até porque sempre estamos precisando de mais tempo para conseguir fazer todas as nossas atividades. Os bancos digitais conseguem fazer os seus clientes ganharem mais tempo ao fazer operações diretamente pelo aplicativo, além do fato de que é possível controlar financeiramente em tempo real todos os gastos do mês e do passado.  Pensando no crescimento de mercado, a fintech Pag! está investindo R$ 300 milhões em marketing, tecnologia e melhorias do produto. A startup financeira oferece cartão de crédito digital e uma conta digital livre de anuidades.

Leia mais:

Pag! pode estar prestes a lançar cartão de débito e conta com investimentos.

Pag! adiciona recurso do Nubank: antecipar faturas e parcelas com desconto.

Vantagens e desvantagens do cartão de crédito Pag!, vale a pena?

O plano ambicioso da empresa receberá o aporte entre 2019 e 2021. A fintech pertence ao Grupo Avista, instituição financeira com mais de 20 anos de mercado e que investirá 50% do valor.

A ideia da Pag! é captar o resto do aporte com investidores. Além disso, a empresa cumpre, até o fim do ano, um primeiro plano de investimentos, de R$ 200 milhões, anunciado no lançamento da operação. Atualmente, a Pag! conta com 350 mil usuários e 1,5 milhões de pedidos em análise.

Portanto, uma maior concorrência será benéfica para os consumidores. Até porque quando se tem mais opções de qualidade no mercado, os serviços tendem a melhorar cada vez mais para não perder clientes para a concorrência.

Gostou da notícia sobre a fintech Pag?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Quais são as opções de empréstimo para quem tem carteira assinada

opções de empréstimo

Nada é mais desesperador que não possuir o recurso necessário para quitar alguma dívida, ainda mais quando ela foi feita no cartão de crédito, pois eles cobram juros altíssimos, o que acaba sendo um péssimo negócio. E o pior que, muitas vezes, imprevistos em nossas vidas quando estamos de fato nos organizando financeiramente. Por consequência disso, precisamos recorrer a recursos de terceiros para resolver nossas finanças. O empréstimo, portanto, é um grande aliado quando estamos passando por dificuldades financeiras. Existem pessoas que preferem recorrer aos familiares ou amigos mais próximos, sendo que esta opção realmente é mais barata. Até porque dificilmente essas pessoas com vínculo sentimental cobrarão juros de você. No entanto, nem sempre essa é uma opção viável, o que significa que é preciso pedir crédito ao mercado. Por isso, conheça as opções de empréstimo para quem possui carteira assinada:

Opções de empréstimo disponíveis para quem possui carteira assinada

opções de empréstimo

Cheque especial

Esta modalidade de empréstimo serve mais para uma situação emergencial, sendo disponibilizado pelo banco. O correntista pode usar o limite do cheque especial para compras, saques, pagamento de contas e transferências.

Em contrapartida, os juros do cheque especial são altíssimos, os mais altos do mercado de crédito. Portanto, realmente, o cheque especial deve ser utilizado somente em situações emergenciais e que rapidamente pode ser quitado pelo devedor. Embora essa modalidade de crédito seja prática, ele não é a melhor opção de empréstimo.

Leia também:

5 Vantagens do empréstimo com garantia de imóvel.

Fintech Social Bank permite empréstimo entre pessoas físicas.

Empréstimo online: confira as melhores e mais seguras opções da atualidade.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é, sem dúvida, a melhor opção de crédito, tendo o foco maior para os funcionários público ou aposentados. No entanto, também é possível fazer o empréstimo consignado sendo funcionário da iniciativa privada. Para isso, o trabalhador precisa se informar no RH se a empresa em que ele trabalha possui convênio com um banco que oferece esse tipo de crédito.

O crédito consignado é mais barato porque é descontado diretamente na folha de pagamento do funcionário. Portanto, o risco da instituição financeira não receber o dinheiro de volta é muito menor.

Empréstimo pessoal

O tipo de empréstimo mais comum entre os assalariados é o empréstimo pessoal. Até porque diferentemente do que ocorre no empréstimo consignado, a parcela não é desctonada diretamente na folha de pagamento. Além disso, o empréstimo é definido de acordo com critérios da análise de crédito do banco ou financeira.

Esta opção de empréstimo permite que até trabalhadores sem carteira assinada consigam obter crédito. Entretanto, o trabalhador precisa ter comprovante de renda.

Empréstimo com garantia de imóvel ou veículo

Nesta modalidade de crédito, o solicitante do empréstimo vai deixar o seu imóvel ou veículo como garantia de pagamento. A vantagem é que geralmente a taxa de juros é baixa, até porque o seu bem estará dando garantia. Sendo também uma forma de incentivo de que você pague a dívida. Logicamente que você não vai querer perder o seu veículo ou imóvel, então o pagamento acabará sendo incentivado.

Antecipação do 13° salário

É possível também pedir a antecipação do 13° salário e o pagamento deverá ser feito quando o trabalhador receber o benefício. Claro que você terá um custo e deve avaliar se realmente valerá a pena antecipar o 13° salário. Portanto, avalie as condições de antecipação.

Quais são as melhores opções de empréstimo?

A melhor opção é o empréstimo consignado porque é o que cobra as menores taxas de juros e ainda por cima é descontado na folha de pagamento. Isso significa que não é preciso nem se preocupar em pagar o boleto.

Outra boa opção é o empréstimo com garantia de imóvel ou veículo. Essa alternativa também oferece juros menores, mas é preciso que você se organize e pague em dia, porque é possível que você perca o seu bem caso atrase muitas parcelas.

Na verdade cada uma das opções de empréstimo possui a sua finalidade. O cheque especial, por exemplo, tem a sua importância pela facilidade em utilizar numa situação emergencial. Ou seja, cabe a você definir qual é o mais adequado para determinada situação.

Por fim, é necessário tocarmos no assunto, mais uma vez, de que o mais importante de tudo é você sempre manter suas finanças em dia, pagando sem atraso para não ser cobrado juros e nem multa. Além disso, poupar dinheiro para esses eventuais problemas que ocorrem em nossas vidas também se faz necessário. Até porque, assim, raramente, você precisará pedir empréstimo.

Fontes: Bom Pra Crédito, Konkero.

Banco Inter baixa os juros do crédito imobiliário e do consignado

Banco Inter baixa os juros

Banco Inter baixa os juros do crédito imobiliário e do consignado. O Banco Inter, instituição financeira digital totalmente gratuita e que também é referência em crédito imobiliário e crédito consignado, reduziu a taxa de juros dos dois produtos ofertados pelo banco.

Banco Inter reduz ainda mais a taxa de juros do financiamento imobiliário

Banco Inter está dando desconto na compra de dólar ou euro.

A instituição financeira, antigamente, se chamava Intermedium, e vem se tornando uma das principais opções de bancos digitais do Brasil. Primeiramente porque é digital e totalmente gratuito. Além disso, o correntista pode fazer investimentos, pedir empréstimos, fazer transferências via TEDs ilimitadas e totalmente gratuitas, além de vários outros serviços.

Banco Inter baixa os juros do crédito imobiliário e do consignado

Anteriormente, o financiamento imobiliário era de 12% + IPCA a.a. e agora passou para a partir de 10,5% + TR a.a. O Banco Inter também fez a mudança do índice econômico de reajuste do valor financiado que antes era feito pelo IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) e agora passa ocorrer pela TR (Taxa Referencial).

Outra diminuição anunciada pelo Banco Inter foi a diminuição da taxa praticada para o crédito consignado. Antes era de 2,4% a.m. e passou para a partir de 1,55% a.m.

Leia também:

10 motivos para abrir conta em fintech e esquecer os bancos tradicionais.

Por que você deve sair do seu banco tradicional e abrir uma conta digital no Banco Inter.

10 motivos para você abrir uma conta digital no Banco Inter e esquecer o Nubank.

“Temos percebido uma retomada dos mercados imobiliário e consignado, que estão se reerguendo com a queda da taxa SELIC. Com essas novas taxas ficamos mais competitivos nesses segmentos”, explicou Marco Túlio Guimarães, vice-presidente do Banco Inter. “Somos referência em crédito imobiliário e possuímos mais de 50 pontos com consultores de negócios que trabalham com essa modalidade de crédito no Brasil”, destaca o executivo. “Possuímos, ainda, uma estrutura sólida de venda e pós-venda de crédito consignado, sendo o nosso diferencial o atendimento e as taxas competitivas”.

Além do Banco Inter ser totalmente gratuito, ele se destaca pela análise de crédito flexível, atendimento personalizado e a agilidade na liberação de crédito. No entanto, obviamente que o cliente precisa apresentar a documentação sem pendências. Normalmente em até cinco dias úteis ele já pode assinar o contrato. A nova taxa é para clientes que não possuem restrições de crédito e para imóveis aprovados na avaliação do banco. “Escolher um financiamento imobiliário não se resume a encontrar a melhor taxa de juros. Existem outras variáveis que são tão importantes como a agilidade na liberação do financiamento”, destaca Guimarães.

O banco possui uma carteira de crédito imobiliário de 1,6 bilhão. Ela é composta por 56,1% de financiamentos imobiliários e 43,9% por empréstimos imobiliários com garantia de imóvel.

Já o consignado, o saldo da carteira do Banco Inter totaliza R$787,7 milhões. Algo a salientar, é que 40% do total de pedidos de crédito consignado foi realizado via plataforma digital.

Considerações Finais

Portanto, se você for correntista do Banco Inter e está precisando de dinheiro para comprar algum bem de grande valor como um apartamento. Tente crédito imobiliário com eles. Além disso, se você for aposentado ou funcionário público, está valendo bastante a pena fazer o crédito consignado com a instituição financeira. Sobretudo, porque está custando apenas 1,55% ao mês. Aproveite. 😉

Gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Investimentoenoticias.

Fintech Creditas pede registro ao Banco Central para virar banco

Creditas

A Creditas, plataforma de serviços financeiros em que oferece crédito com garantia, registrou um pedido para se tornar um banco. A Creditas foi a primeira fintech a fazer o pedir após o BC regulamentar as atividades das fintechs de crédito.

De acordo com o fundador da Creditas, Sergio Furio, o objetivo é ter autonomia para operar produtos e serviços. Ele ainda destaca que deseja mais independência e ter custos operacionais menores.

Leia mais:

Rumor: PagSeguro pode estar próximo de lançar o seu próprio banco.

Como funciona o app PicPay? Aprenda a ganhar dinheiro com ele.

10 motivos para você abrir uma conta digital no Banco Inter e esquecer o Nubank.

“Pretendemos lançar por exemplo uma linha de crédito com garantia, que vai funcionar como uma espécie de cheque especial, porém bem mais barata do que as oferecidas por bancos”, explicou o fundador. A Creditas também seguirá operando em modelo híbrido, diretamente e com parceiro.

A Creditas foi fundada em 2012 e oferece crédito com garantia de imóveis ou veículos. Ela tem parceria com as instituições financeiras Sorocred, Santana, CHP e Fapa.

A regulamentação do Banco Central tornou possível que as fintechs operem sem um intermediário. Ou seja, abriu a possibilidade de operar como uma Sociedade de Crédito Direto (SCD) e como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP).

A Creditas, segundo Furio, liberará cerca de 340 milhões de reais neste ano. Mantendo o plano de tornar a empresa a maior de empréstimos com garantia da América Latina.

A fintech recebeu aporte, em dezembro, de 165 milhões de reais do fundo de private equity sueco Vostok. Foi o maior investimento de 2017 no setor na América Latina.

Entenda a regulamentação do Banco Central

A regulamentação permite que fintechs de crédito digital entrem com pedido de abertura de instituição financeira nas modalidades SEO ou SCD. Isso significa que elas se tornam independentes e mais competitivas em relação aos bancos tradicionais.

No entanto, as startups de crédito direto e de empréstimos entre pessoas devem atender a requisitos operacionais e prudenciais proporcionais compatíveis com o seu porte e perfil. Caso a fintech tenha perfil de risco simples, ela pode optar pela classificação no segmento S5 para fins de aplicação proporcional das regras prudenciais. Os critérios foram adaptados pela Resolução n°4.657, em que permite que as instituições possam se expor a títulos de securitização. Desde que possuam características de menor risco e exerçam atividades relacionadas à custódia e à escrituração de títulos de crédito originados pela própria instituição.

Já para as fintechs pertencentes à SEP, houve uma mudança do limite máximo de risco que o investidor pode tomar. O Banco Central regulamentou um limite de R$ 15 mil por operação, mas sem limitar a quantidade de operações.

A regulamentação também permite que as fintechs ofereçam análise de crédito, atuar como corretor de seguros e emitir moeda eletrônica. A mudança torna as fintechs independentes porque elas, atualmente, trabalham  como correspondentes bancários de instituições financeiras.

Gostou da notícia sobre a Creditas?

Nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.